Após tantas décadas, músicos do Creedence Clearwater Revival resolvem brigas


Uma das bandas mais meteóricas - e brigonas - da história do rock, o Creedence Clearwater Revival, enfim, está em paz. Os músicos sobreviventes resolveram suas diferenças e "não se atacam mais", conforme revelado pelo baixista Stu Cook em entrevista à Billboard.


O Creedence lançou sete álbuns em apenas cinco anos de existência (1967 a 1972), mas começou a desmoronar ainda em 1971, quando o já falecido guitarrista Tom Fogerty, irmão do frontman John Fogerty, deixou a banda. O fim foi anunciado pouco tempo depois, mas John permaneceu brigado com os demais músicos, a ponto de ter se recusado a tocar com Cook e o baterista Doug Clifford quando o grupo foi introduzido ao Rock and Roll Hall of Fame, em 1993.

Agora, a situação entre os três está um pouco mais amena. "Não estamos mais nos atacando. Estamos focados em coisas boas sobre o Creedence - é o que acho que devemos fazer", afirmou Stu Cook, à Billboard.

Como sinal de trégua, o trio está trabalhando junto para comercializar o material antigo do Creedence Clearwater Revival. Um dos projetos que finalmente deve chegar a público é a gravação do show do grupo no lendário festival de Woodstock, no ano de 1969.

Além da nova parceria - comercial, já que não há planos para que eles voltem a tocar juntos -, ficou estabelecido que Cook e Clifford encerrem o Creedence Clearwater Revisited, banda montada para tocar os clássicos do Revival, após as últimas datas serem cumpridas. No passado, John Fogerty chegou a processar a dupla pelo uso do nome, mas eles acabaram conquistando o direito da nova marca na justiça.
Após tantas décadas, músicos do Creedence Clearwater Revival resolvem brigas Após tantas décadas, músicos do Creedence Clearwater Revival resolvem brigas Reviewed by Igor Miranda on sexta-feira, abril 12, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário