Ex-guitarrista Loro Jones processa Capital Inicial e gravadora por royalties


O guitarrista Loro Jones processou a sua antiga banda, o Capital Inicial, bem como a gravadora Sony Music por supostos direitos não pagos, especialmente, do álbum "Acústico MTV", lançado em 2000. A informação é do jornalista Ancelmo Gois, em sua coluna no jornal "O Globo".

Segundo o advogado de Loro Jones, Ramon Ramos, o valor da dívida não ficaria abaixo de R$ 1 milhão. O guitarrista deixou a banda meses após o lançamento do "Acústico" e sua vaga foi ocupada por Yves Passarell, ex-Viper.

"Fizeram uma oferta de acordo de R$ 89 mil pelos royalties. Mas esse valor não inclui o período em que o álbum fez mais sucesso. Só corrigindo pela inflação o acordo que não foi aceito, o Loro tem direito a quase R$ 500 mil. O resultado total não ficará abaixo de R$ 1 milhão", afirmou o advogado a Ancelmo Gois.

O texto aponta que um ponto complica a possibilidade de acordo: o "Acústico MTV" foi lançado pela Abril Music, gravadora que faliu em 2003 e foi integrada à Sony Music em seguida. Dessa forma, Loro Jones não tinha contrato com a Sony, apenas com a Abril.

"Eles continuavam ganhando algo que era também para eu receber. Fiquei dessa data (do lançamento) até hoje e nunca recebi royalties. Não recebi porcaria nenhuma", disse Loro Jones, em nota divulgada pela coluna.

"Acústico MTV" marcou o renascimento do Capital Inicial diante do público, após vários problemas - e até a saída do vocalista Dinho Ouro Preto - na década de 1990. O trabalho conta com os sucessos "Natasha" e "Primeiros Erros", de Kiko Zambianchi.

Apesar do êxito conquistado com o "Acústico", Loro Jones optou por deixar o Capital Inicial em 2002. O músico queria voltar a morar em Brasília.
Ex-guitarrista Loro Jones processa Capital Inicial e gravadora por royalties Ex-guitarrista Loro Jones processa Capital Inicial e gravadora por royalties Reviewed by Igor Miranda on quinta-feira, maio 23, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário