Esgrima, Purple e álbum solo: a rotina de Bruce Dickinson após deixar a América do Sul


Em entrevista ao jornal argentino Clarín, o vocalista Bruce Dickinson revelou quais seriam os próximos planos dele após o fim da turnê do Iron Maiden pela América do Sul. A banda concluiu sua passagem pelo continente com dois shows em Santiago, Chile, nos últimos dias 14 e 15 de outubro.

Antes, no dia 12 de outubro, o Iron Maiden se apresentou em Buenos Aires, na Argentina, depois de um giro com três datas pelo Brasil. De passagem pelo país dos "hermanos", o cantor comentou o que faria após o fim da tour. Apesar de uma pausa nas atividades do Iron Maiden, o cantor seguirá ativo com outros projetos.

"Posso te dizer, agora, o que vou fazer até o Natal. Literalmente, após o show no Chile, vou para Londres, chego às 7 da manhã, tomo banho e vou a uma conferência de engenheiros. Depois, coloco uma p*rra de gravata preta e vou a um evento de caridade. No dia seguinte, tenho uma conferência, depois uma reunião com potenciais investidores de minha empresa", disse.

- Leia: 'Há mais sexo, drogas e rock num time de rugby que no Iron Maiden', diz Bruce Dickinson

Após tudo isso, o cantor, enfim, poderá ir a um pub com os filhos (ele tem três, de 25, 27 e 29 anos). "No sábado, voltamos a nos encontrar, depois vou a Paris, onde moro com minha namorada. Na segunda, começo a treinar esgrima até quinta-feira. Será o meu retorno ao treinamento desde que quebrei a m*rda do tendão de Aquiles", afirmou.

Por fim, Dickinson trabalhará em cima do tributo que será feito, no Canadá, aos 50 anos do álbum "Concerto For Group And Orchestra", concebido pelo tecladista Jon Lord para sua banda, o Deep Purple, em 1969. A ideia é prestar uma homenagem ao músico, que faleceu em 2012, aos 71 anos, após lutar contra um câncer no pâncreas.

O evento vai acontecer no dia 21 de novembro, no Palais Montcalm, que fica em Quebec City. Além de Dickinson, foram convidados o maestro Paul Mann, a Orquestra Sinfônica de Quebec e a Paul Deslauriers Band.

- Leia: Como foi o teste de Bruce Dickinson para o Iron Maiden

"Contrataram uma orquestra e me perguntaram se eu queria cantar. Eu disse que sim e me falaram que eu teria que cantar cinco músicas. Eu perguntei se poderia escolher e eles concordaram. Então, serão essas: 'Hush', 'When a Blind Man Cries', 'Perfect Strangers', obviamente 'Smoke on the Water' e me sugeriram 'Pictures of Home', porque eles têm um ótimo arranjo para a orquestra", contou.

Novo álbum solo de Bruce Dickinson

Ainda durante o bate-papo, Bruce Dickinson comentou sobre o seu prometido álbum solo. O cantor declarou que o disco deve sair entre 2020 e 2021.

"Temos demos, fizemos um pequeno trabalho... sairá no ano que vem (2020) ou no seguinte, pois, no meio, tenho muitas outras ocupações. Porém, sendo honesto, queria sair em turnê com uma pequena banda junto a Roy Z", afirmou o vocalista, declarando que "precisa terminar" o registro solo.

Em seguida, Dickinson comentou que sua carreira solo é muito bem recebida pelos fãs. "Por que não fazer isso, depois do box set 'Soloworks 1990-2005'? Fizemos o box e vendemos 200 mil cópias físicas. Não posso nem acreditar! É uma grande demanda das pessoas. Tenho muito orgulho do meu trabalho em carreira solo", disse.

- Leia: Para Bruce Dickinson, "Brave New World" é um dos melhores álbuns do Iron Maiden
Esgrima, Purple e álbum solo: a rotina de Bruce Dickinson após deixar a América do Sul Esgrima, Purple e álbum solo: a rotina de Bruce Dickinson após deixar a América do Sul Reviewed by Igor Miranda on terça-feira, outubro 22, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário